(R)existência e Afetos na Escrita de Si das Sertanejas Conectadas

A doutoranda em Comunicação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Tamires Coelho, tenta entender a exposição e a existência digital das sertanejas de Guaribas-PI no Facebook. Os afetos foram fundamentais para entender os processos de subjetivação política dessas mulheres.
As afetações expressas nos relatos, nos compartilhamentos, nas fotos, nas interações e nas entrevistas fazem emergir traços de narrativas que ultrapassam uma argumentação formal. É a partir desses afetos que será discutido no XI Seminário Internacional de Metodologias Transformadoras da Rede Amlat – Desafios da Investigação Transmetodológica em Tempos de Crise a abordagem metodológica interseccional que guiou a escolha de categorias analíticas em torno da escrita de si das sertanejas: eles falam de ruralidades, de raça e classe, de maternidade, de religião, de violências e do próprio encontro entre sujeitos no processo de pesquisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam